PERÍODO MEDIEVAL

Do período alto-medieval, temos o sítio arqueológico da Quinta de Salgodins. Trata-se de um conjunto de três sepulturas antropomórficas, sendo que duas delas apresentam uma moldura interna. Há vestígios de terem sido cobertas, em tempos, por uma tampa.

Depois da presença de árabes e visigódos segue-se um período obscuro na história de S. Paio de Gramaços.

No primeiro quartel do século XII existia em terras de Seia, uma insignificante pobla (póvoa) tendo a Este a aldeia denominada Sampaio de Garamácios, e a Oeste a conhecida pelo nome de Bonadela ambas paroquias autonomas. Essa pobla era situada no pendor Sudoeste duma colina, em cujo sopé meridional se estendia um comprido vale de terreno alagadiço e pantanoso, qu vinha contornando, desde Nordeste de Sampaio até Sudoeste da dita pobla.”
(in http://www.freguesia-oliveiradohospital.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=108&Itemid=192 acedido em 26/5/2020).

Só em meados do século XII, no tempo de Afonso Henriques, nos aparece Dom Chavão, rico-homem das terras de Seia, com residência habitual em Gramácios ou Garamácios (mais tarde Gramaços). Era figura do maior destaque, o representante do rei no vasto território de Seia; e, como tal, “tinha os direitos de padriado eclesiástico na vizinha paróquia de Sampaio de Garamácios ou Gramaços”, como informa o eminente historiador e investigador Professor Doutor António de Vasconcelos. Isto significa que a paróquia de S. Paio de Gramaços já existia no séc. XII integrada, como Gramaços, na terra medieval de Seia cujos foros foram sancionados e aumentados em 1136, por Afonso Henriques.

(Incluído texto de: http://www.memoriaportuguesa.pt/historia-de-sao-paio-de-gramacos , acedido a 25/06/2018)